FÓRUM DE COMUNICAÇÃO REALIZA OFICINA DE RÁDIO E FOTOGRAFIA EM CURAÇÁ – BA.

No último dia 02/10, aconteceu em Curaçá (BA) uma Oficina de Rádio e Fotografia, ministrada por Érica Daiane, da Articulação Popular São Francisco Vivo,  reunindo comunicadores comunitários, religiosos, artistas e sociedade civil em uma formação voltada para a potencialização dos meios comunitários de comunicação como ferramenta de educação, democratização e inclusão social.

Um dos assuntos discutidos foi o papel de instrumentos de informação de massa, dando ênfase na comunicação popular na perspectiva de suprir as necessidades de uma sociedade carente de conteúdos pautados em cidadania, ética e educação. Entendendo, de fato, a serviço de quem está os meios de comunicação de massa que forjam opiniões, manipulam, e criminalizam, principalmente, movimentos sociais, as condições climáticas do semiárido e o povo nordestino.

Foram identificados os veículos de comunicação que existem em Curaçá, como a Rádio Curaçá Fm, Blog Boletim de Curaçá, Curasaae (Impresso), Grupo de Teatro Art Livre, Fanpages (Internet) e Carros de Som. 

Para fortalecer ainda mais o debate sobre a comunicação que queremos e por que queremos, houve um estudo e socialização da leitura do texto "Comunicação com Farinha", da professora de Comunicação Social da Uneb,  Gislene Moreira. Relatando um pouco da conjuntura midiática baiana e da necessidade das comunidades em produzir conteúdos a partir de cada realidade, possibilitando as pessoas o direito de serem sujeitas da própria história, como também de serem capazes de transformar a sociedade em que vivem. Priorizando as próprias produções, e, promovendo uma relação produtiva entres comunicadores, lideranças politicas e religiosas, estudantes e demais segmentos sociais.

Durante a tarde a oficina se voltou para a temática da fotografia. Trazendo um pouco aspectos teóricos e em seguida, partiu-se para a prática, tendo como inspiração o Rio São Francisco, que no dia 04 de Outubro comemora aniversário.

Foi também abordado a questão da necessidade de preservação do meio ambiente e da semana de luta em defesa do rio. Assim, os participantes tiveram a missão de registrar não só as belezas do Velho Chico como também usar desta ferramenta de comunicação para fotografar variadas atividades urbanas de degradação ambiental ao Rio São Francisco.

Para Charlene Xavier, participante da oficina,   é muito importante que momentos como estes aconteçam na cidade, pois muito se tem a aprendem e dividir experiências quando o assunto for comunicação comunitária, “Agente está sempre de braços abertos para participar de formações como essa. Tanto encoraja quanto contribui para melhor fazermos essa comunicação que tanto queremos”, afirmou. 

Por Adriel Duarte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias

XII Encontrão de Jovens de Campo Alegre de Lourdes