Curta-metragem aborda formação da CPT com juventude rural



Desde 2014, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Juazeiro realiza a Escola de Formação da Juventude Rural, atividades formativas com jovens de comunidades tradicionais de fundo de pasto. A Escola, que surgiu a partir de uma demanda das organizações camponesas da região, já aconteceu nos municípios de Casa Nova, Campo Alegre de Lourdes, Pilão Arcado, Remanso e Sento Sé. Para contar a história desse processo de formação, dois estudantes de jornalismo produziram o documentário "Jovens na Luta: Relatos sobre a Escola de Formação da Juventude Rural". 

O curta-metragem, de aproximadamente 10 minutos, traz relatos de jovens, lideranças comunitárias e agentes pastorais que fizeram e ainda fazem parte da Escola de Formação, cujo objetivo é despertar na juventude o sentimento de pertencimento em relação aos seus territórios. Comunicação e cultura, terra e território, gênero e políticas públicas são algumas das temáticas abordadas durante as etapas da formação. 

"Buscamos formar uma síntese do significa a Escola para os grupos que participaram", comenta Mayane Santos, uma das produtoras do curta. A estudante de jornalismo da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) acrescenta que ao ter contanto com a Escola de Formação da Juventude Rural, durante realização de estágio na CPT, foi despertada "a vontade de produzir um documentário que servisse tanto para a publicização dessa atividade importantíssima quanto para colaborar com o registro da memória dessa Escola e também das comunidades de fundo de pasto e sua luta pelo território". 

"Jovens na Luta" foi exibido pela primeira vez no final de novembro, na 43ª Assembleia da CPT Juazeiro. Sergiane Ramos, participante da Escola de Formação em Campo Alegre de Lourdes, estava presente na exibição. "A Escola foi muito gratificante, muito boa para os jovens, a cada etapa a gente conhecia coisas diferentes e nos ensinava algo que podemos levar pra sempre. Poderia ter mais vezes nos municípios, para os jovens que não puderam participar", disse a jovem. O documentário pode ser assistido abaixo e no canal da CPT no Youtube




Texto e fotos: Comunicação CPT Juazeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias