FAMÍLIAS CAMPONESAS FAZEM MANIFESTAÇÃO CONTRA JUIZ EM CASA NOVA


Cerca de 300 trabalhadores e trabalhadoras rurais saíram às ruas de Casa Nova para se manifestarem contra a decisão do juiz Eduardo Padilha, que deu a posse da Areia Grande, área de fundo de pasto onde vivem 400 famílias há gerações, para os empresários Carlos Nisan e Alberto Martins Pires, que nem moram em Casa Nova. O ato ocorreu na quarta-feira 20.

Durante a passeata, diversos populares do município se mostraram solidários ao povo da Areia Grande, inclusive por lembrarem do assassinato do agricultor José Campos Braga – Zé de Antero. O crime aconteceu em 2009, pouco tempo depois de uma invasão de jagunços de uma reintegração de posse que o juiz Padilha expediu em favor dos mesmos empresários.

Sobre a nova decisão do magistrado, o agricultor Zacarias Rocha, morador do território de Areia Grande, disse não esperar outra postura da autoridade. “Vindo do Eduardo Padilha, as comunidades já esperavam que ele fosse julgar favorável a esses empresários. Mas as comunidades ficam com medo, pelo que aconteceu em 2008. Ao mesmo tempo, continuamos fortalecidos, e não é essa decisão que vai fazer as comunidades entregarem o seu território”.



      No final da manifestação, o grupo se reuniu em frente ao fórum de Casa Nova, momento no qual os trabalhadores e trabalhadoras rurais saudaram a transferência de Eduardo Padilha para Juazeiro, e reafirmaram a resistência em prol dos territórios de fundos de pasto do município. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias