Em Assembleia, mulheres de Pilão Arcado debatem sobre a Reforma da Previdência


Mais de 50 mulheres, trabalhadoras rurais, pescadoras e lideranças comunitárias da sede e de comunidades do município de Pilão Arcado realizaram, no último final de semana, dias 6 e 7 de abril, a Assembleia Anual de Mulheres. O encontro foi realizado na Casa de Formação da Paróquia Santo Antônio e teve como debate principal a PEC 06/2019. 

Esta PEC, proposta pelo Governo Bolsonaro, quer alterar as regras da Previdência Social, introduzindo mudanças no tempo de contribuição, idade mínima para se aposentar e valores dos benefícios. Se aprovada, os trabalhadores rurais e as mulheres estão entre os que mais serão afetados com a Reforma da Previdência. 

Para os/as trabalhadores/as rurais, a PEC 06/2019 propõe uma idade mínima de 60 anos (homens e mulheres) e o aumento do tempo de contribuição para 20 anos. Para esse público, haverá ainda uma contribuição de R$ 600 por ano, caso não consiga comprovar a contribuição a partir da produção no campo. 
Na visão das mulheres presentes na Assembleia, a Reforma da Previdência vai gerar humilhação, escravidão dos trabalhadores/as, desânimo e piora na qualidade de vida. 

Consequências da Reforma da Previdência.
De acordo com as mulheres, é necessário barrar a PEC 06/2019. O diálogo com as comunidades e fazer pressão ao poder público, apontam as trabalhadoras, é fundamental para mobilizar a sociedade contra a Reforma da Previdência. 

Texto e fotos: CPT Juazeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias

XII Encontrão de Jovens de Campo Alegre de Lourdes