Jovens de comunidades ribeirinhas participam de formação sobre comunicação em Sento Sé




O direito à comunicação foi o tema de uma formação realizada, no último sábado (20), pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Juazeiro na comunidade Pascoal, município de Sento Sé (BA). No encontro, que também contou com participantes das comunidades vizinhas Limoeiro e Aldeia, os jovens debateram sobre a importância da comunicação na sociedade e a influência da mídia, além de realizarem exercícios de produção de conteúdo audiovisual. 

Com dinâmicas, oficinas e rodas de conversas, os participantes soltaram a imaginação e a criatividade. Uma das atividades buscou mostrar as várias formas que um mesmo objeto, pessoas e paisagens podem ser enquadrados em uma fotografia ou vídeo. A facilitação do encontro contou com a colaboração de estudantes dos cursos de Jornalismo e Pedagogia da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).



Para a jovem da comunidade de Aldeia, Jacléia Muniz, 17, a formação mostrou a importância dos meios de comunicação e como eles podem ser usados para fortalecer as comunidades, que no momento estão resistindo à implantação de uma empresa de mineração no território. "A gente pode fazer fotos, postagens, vídeos para conscientizar a população", disse a estudante. 

No final da formação, os participantes produziram vídeos sobre as potencialidades das comunidades e que estão ameaçadas com o projeto da mineração. Os vídeos, produzidos pelos jovens com celulares, mostram a beleza do rio São Francisco, que banha as comunidades; a riqueza natural da Serra da Bicuda e sua importância para a população; e a diversidade da produção dos agricultores e pescadores do território. 



Texto: Comunicação CPT Juazeiro
Fotos: Comunicação CPT Juazeiro e participantes da Formação





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias