História de resistência, luta e organização de Areia Grande chama a atenção da Caravana Agroecológica

Os relatos e depoimentos das lideranças e famílias da localidade de Areia Grande, interior de Casa Nova, durante a visita da Caravana Agroecológica do Semiárido Baiano à comunidade, revelaram uma historia de luta, resistência e denuncias presente na vida de um povo unido e organizado. “Areia Grande é a comunidade mãe de todas as lutas contra as injustiças nessa região do São Francisco”, afirmou Rubem Siqueira, membro da Comissão da Pastoral da Terra (CPT) e participante da Caravana.
Para o Presidente da Associação de Areia Grande, Valério Rocha, a união das famílias foi fundamental para a comunidade enfrentar as ameaças, que desde a construção da Barragem de Sobradinho, na década de 70, insistem em querer expulsar as pessoas de sua terra, destruindo a Caatinga, os solos e outros recursos naturais importantes para as famílias que vivem basicamente da criação de animais em áreas de fundo de pasto. Valério destaca que nos últimos anos, quando a Justiça de Casa Nova emitiu uma ordem de despejo em favor de empresários que se dizem “donos” das terras de Areia Grande, a comunidade vem enfrentando as mais violentas agressões e até atos de pistolagem como o que vitimou o líder comunitário José de Antero em 2009. Assassinato até hoje não esclarecido pela justiça.
Joaquim Ferreira da Rocha, mais conhecido por “Quinquim”, um das lideranças mais antigas da comunidade, diz que enquanto os direitos à vida e a dignidade do povo forem ameaçados pelos donos do dinheiro e até pelas interpretações injustas das leis, Areia Grande e todas as comunidades do entorno, vão estar firmes na luta, especialmente pela garantia de sua terra onde essas famílias nasceram, vivem e produzem com dignidade.
A Caravana Agoecológica do Semiárido Baiano, que  aconteceu na região com a participação de entidades da sociedade civil, movimentos sociais e instituições púbicas, realizou na manhã de quarta-feira (28), em Casa Nova, evento sobe Conflitos Fundiários. Na ocasião,  a situação enfrentada pelas famílias de Areia Grande foi denunciada na esperança de que as famílias dessa e de outras regiões, ameaçadas pela grilagem e por empreendimentos que destroem a vida, possam alcançar a paz, a justiças e a dignidades que tanto sonham.

Texto - Comunicação Irpaa
Foto: Luciana Rios

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias

XII Encontrão de Jovens de Campo Alegre de Lourdes