Campo Alegre de Lourdes em Romaria pela Vida diz não a Mineração


Com cantos, orações e gritos em defesa da natureza e da vida, cerca de duas mil e quinhentas pessoas, de todo o município de Campo Alegre de Lourdes - BA, caminharam dois quilômetros sob o sol do meio-dia, no domingo, 4 de setembro, até as imediações do morro do Tuiuiu, considerado “cartão postal” do lugar, seu mais importante patrimônio natural. Presentes representantes de várias comunidades, grupos religiosos, associações, sindicatos protestavam contra o avanço da mineração no município. O belo morro contém minérios valiosos, como titânio, vanádio e ouro, e está sob mira de empresas.

Localizada no extremo norte da Bahia, divisa com o Piauí, a população já conhece os impactos da mineração. No povoado Angico dos Dias, a Mineradora Galvani explora fosfato e transtornou a vida do lugar, com sérios problemas de saúde, já havendo suspeita de mortes, causados pela poeira da extração mineral. Assustada com a possibilidade de que 82% do território do município sejam minerados, a população, que tem um histórico de organização e luta, reage e obriga o poder público local a tomar medidas de precaução.

Na Assembléia de Trabalhadores Rurais do município, organizada pela CPT de Juazeiro e Paróquia, em julho, foi construída a romaria. O pouco tempo para a organização e realização demonstra a preocupação que toma conta da maioria das pessoas, que tem sua vida baseada na agricultura de subsistência e na pecuária de pequeno porte, e mais recentemente na apicultura, reconhecidas como das mais produtivas da região, dada a fertilidades das terras e a qualidade das matas.

Levando a cruz, faixas, cartazes, orações, cantos, depoimentos e dança, a Romaria concluiu com a celebração da missa numa clareira em meio à caatinga seca, da qual se tinha uma bela vista do Tuiuiu. O vigário, padre Bernardo Hanke, circundado pelo padre Edcarlos e o diácono Edivaldo e muitos coroinhas e Ministros da Eucaristia, presidiu uma longa e animada celebração, com muitas exortações ao compromisso em defesa da vida. Ao final, o vice-prefeito Deusvaldo Almeida (PT) anunciou que a prefeitura estuda formas de preservar o Tuiuiu. Cansados mas muito animados, os participantes voltaram fortalecidos para o duros embates que virão, em continuidade da luta em defesa da vida, contra a sanha devoradora e cega que quer se assenhorar de solos, águas e subsolos da Bahia.

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias