3ª SEMANA SOCIAL DIOCESANA DE JUAZEIRO DISCUTE A PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NA DEMOCRATIZAÇÃO DO ESTADO BRASILEIRO



“Estado para que e para quem?”, esse é o tema que será debatido na 3ª Semana Social Diocesana de Juazeiro. O evento que acontecerá no Colégio Paulo VI, em Juazeiro entre os dias 6 e 7 de abril, tem como objetivo aprofundar o debate sobre o Estado e o papel da sociedade na sua democratização.

A discussão sobre “O Estado que temos” será coordenada pela professora da Universidade Federal da Bahia, Sara Cortes, e pelo agente da Comissão Pastoral da Terra, Roberto Malvezzi. Além do tema principal, outros assuntos serão abordados em oficinas, entre eles a convivência com o Semiárido, com o  coordenador do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada, Edmilson Rocha;  a relação entre comunicação e cultura,  com a jornalista Érica Daiane; Violência e extermínio da Juventude, com o  Padre Raimundo, além de Movimentos Sociais e Estado, que terá a presença dos advogados Joice Bonfim e Maurício Correia.

Ao término das atividades, no domingo, será apresentada a Carta da Semana Social, que reunirá as propostas discutidas durante o fim de semana,  com pontos que possam fortalecer a democratização do Estado em âmbito regional. O documento será encaminhado para a Semana Social Diocesana Estadual, no mês de maio, e na nacional, em setembro.

A Semana Social é uma iniciativa  nacional que já está na sua 5ª edição e é realizada pela Comissão Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB) abrangendo diversas dioceses e paróquias brasileiras.

O debate sobre o Estado brasileiro já vem sendo realizado desde o ano passado, por comunidades, paróquias, dioceses e regionais, em seminários e celebrações envolvendo os movimentos e pastorais sociais, movimentos eclesiais e formadores de opinião.

Para  participar da Semana Social,  basta entrar em contato com a  Comissão Pastoral da Terra, ou a com  Catequese  na Cúria  Diocesana, através dos telefones (74) 3611-3550 e 3611-5329. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias