COMUNIDADES SE ARTICULAM PARA ENFRENTAR AVANÇO DE MINERADORAS NA REGIÃO DE PAULISTANA (PI)




Comunidades rurais da região de Paulistana (PI) se reuniram para discutir estratégias de enfrentamento ao avanço de mineradoras  sobre propriedades de famílias camponesas. A reunião aconteceu em Caititus, povoado de Curral Novo, no último sábado 28. 


Com a presença de mais de 80 camponeses e camponesas, o momento serviu também para que os participantes pudessem contar casos de abusos cometidos por funcionários de mineradoras que estão realizando pesquisas na região. 


Como o que foi relatado pela agricultura Maria Luzinete Carvalho, moradora do povoado Sítio do Juá, em Curral Novo.  De acordo com a camponesa, empregados de uma empresa mineradora estão tentando coagi-la a vender sua propriedade por um preço abaixo do mercado.  “Eles estão ameaçando a gente. Disseram que, se eu não assinasse o documento de venda da minha terra, iriam chamar a Polícia Federal para colocar a gente para fora”, contou. 


Também presente não reunião, o advogado Lucas Vieira, que defende as comunidades, explicou que tentar força alguém a assinar qualquer documento é ilegal. “ Por lei, ninguém pode ser perturbado estando em sua residência. E é crime, também, ameaçar uma pessoa a realizar um ato contra a sua vontade".


A região de Paulistana, localizada no Centro Sul do Piauí, é tida como a nova fronteira mineral do estado. Porém, enquanto o governo estadual comemora o fato dos municípios dessa área terem potencial para produzir centenas de  toneladas de ferro, vários povoados se preocuparam com os inestimáveis danos socioambientais que a extração mineral pode gerar, como já acontece com obras da Transnordestina que passam pela região. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias

XII Encontrão de Jovens de Campo Alegre de Lourdes