Para onde vai o Estado: Yamana Gold depende do governo para elevar produção

Mineração
                                                                                              

A canadense Yamana Gold, uma das principais mineradora de ouro no Brasil, depende da aprovação do marco da mineração ou da emissão de licenças no país para concretizar suas projeções de crescimento da produção nos próximos anos.



A maior parte do crescimento da produção planejado pela empresa está no Brasil, já que três projetos previstos para entrar em operação em 2013 estão localizados em território brasileiro, disse um representante da área de comunicação da empresa à Reuters por e-mail.
O governo brasileiro congelou a emissão de outorgas de mineração para aguardar o novo marco regulatório do setor , em medida que paralisava até setembro processos de 11 mil requerimentos de concessões de lavra e impedia a começo de produção de pelo menos 50 minas no país.
"A Yamana prevê que a lei (o novo marco) vai ser aprovada e tem garantias de relevantes esferas governamentais de que as autorizações provisórias (de que precisa) continuarão a ser emitidas até lá", afirmou.
Enquanto o governo ainda trabalha na modernização das leis do setor, o número de projetos parados que aguardam por licenciamento no país é cada vez maior, e um levantamento está sendo preparado pela indústria.
Em comunicado ao mercado no dia 9 de janeiro, a Yamana Gold disse que espera que as licenças operacionais plenas serão concedidas sob a nova lei de mineração brasileira.(Exame - Foto Ana Cecília Rezende)
Avessa à demandas socioambientais,  no final de 2012, o site da CPT Bahia mostrou a empresa irrigando seu "Complexo Ambiental"  no  povoado  Itapicuru,  em Jacobina (BA), enquanto  os moradores do local sofriam com a falta de água. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

“Nós vamos ficar com a morte e a doença”: Em Sento Sé (BA), comunidades ribeirinhas temem empreendimento de mineração

Centenas de famílias estão na rua após despejos violentos em acampamentos do MST

Mineração: uso de explosivos aterroriza comunidade de Angico dos Dias